Escrita de Pressão. Também em Jorros de Litro.
28
Nov 09
publicado por A.Bruto, às 16:32link do post | comentar

absorto.

o normal.

absurdo.

é quase tão absurdo como discutires apoios fiduciários enquanto escreves a tua vida dentro da tua mente, como tu fazes todos os dias. Sobreviveram-te os pólos, energia alternada em duvidosos estabelecimentos onde se vendem os agasalhos para o calor que não lhes dão em casa, pobres diabos.

olhos secos de lágrimas inchadas, guardados em anos da prisão de são lado nenhum. Outro lado,

figuras esbeltas de carne e carbono, conteúdo vão e tábua rasa de interesses fúteis e ouvidos tapados à canção que te deram quando nasceste.

saltas

do canto onte te sentas todas as noites, apagas o cigarro com a certeza de quem muda de vício, percorres os olhos pelos adornos dos corpos de quem te vai mudar a vida, paras no menos mau, aposta segura, como a sua mulher pensou um dia. soltas um gás disfarçado pela tua presença de rainha. abordas e arriscas, distante e afável, és voz rouca de tabaco e álcool martelado.

 

...

 

voltas à cama, à da tua cama, vês o sangue ensopar o linho e poliester, lençol branco, pureza única da tua vida, fabricada por mãos infantis.

sentes frio no meio do delírio, tapas o corpo frio e soltas um suspiro (primeiro gesto real de uma vida de mau romance, onde és uma personagem secundária prestes a ser engolida pela história quand ainda nem chegaste ao segundo capítulo)

ninguém te vai escrever, não passas de uma história de amigos bêbados a medirem-se, foste uma cara bonita - "és bonita demais para estar aqui" - que não vais alcançar o rodapé.

ou dormes ou morres. ou então, vives, já não percebes

a

diferença

quando o tempo passa, passa mesmo ao teu lado´, como quem diz que a estrada passa aqui

quando, afinal, a estrada é estática -estrática?- e tal e qual é o tempo que passa como uma estrada

aqui

mesmo ao teu lado.

 

(encheste o copo, até meio, de sangue com um single malt, dos caros,

ainda viste o copo meio cheio, reparaste?, prontamente sorvidos de um gole só.

Optimisticamente, suicidaste-te, irão encontrar-te mais tarde e vão ver aquilo em que te tornaste no princípio da estrada e do tempo, pedaço de carne, envolto em sangue.

tranquila ira de vida desperdiçada - vai ser uma pena-  anglicamente, a treat for their eyes, quando te encontrarem,os tarados. 

Respira.

não consegues?

é agora.

não valeu a pena, ainda pedes desculpa sem conseguir dirigir o perdão. desculpas-te a ti própria e morres.

 

(a velho no público não se apercebeu que morreste e manifesta-se ruidosamente contra a imagem dos pêlos púbicos envoltos em sangue - afasta-se maldisposta, vomitando à porta do teatro, mesmo antes de entrar no convenientemente colocado táxi.

Nessa noite, ao deitar-se, pensou que deveria ter sido ela puta)

 


P****, pá! então vais ser pai?
estou atordoada, meu!!!

felicidades. sucesso e paz no caminho.
para uma eventual mãozinha, já sabes onde ando.
slevylima a 28 de Novembro de 2009 às 17:23

Pai?!?!?! Não, ainda não. Pelo menos que eu saiba.
A.Bruto a 28 de Novembro de 2009 às 18:22

mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO